Inovação e Tecnologia: Porque elas são fundamentais no desenvolvimento de qualquer empresa

Inovação e Tecnologia: Porque elas são fundamentais no desenvolvimento de qualquer empresa

Publicado por: Luciana Abreu Publicado: 01/07/2021 Visitas: 213 Comentários: 0

Inovação e Tecnologia: Porque elas são fundamentais no desenvolvimento de qualquer empresa

Entenda por que essas ferramentas são consideradas fatores imprescindíveis para o bom desempenho dessas instituições, que estão se tornando excelentes opções de investimento.

 

Nos últimos meses tem-se noticiado, e com cada vez mais frequência, o aumento no número de empresas que receberam investimentos recordes. Quase todas elas têm uma característica em comum: investem em tecnologia e inovação.

Investir em tecnologia é uma forma de potencializar a competitividade diversificando mercados, reduzindo custos e atraindo novos consumidores. Vivemos um momento de extremo contato com a tecnologia. A utilização dessas ferramentas, antes voltadas para uso pessoal, se tornaram cada vez mais necessárias, também no universo profissional, acelerada pela pandemia e a necessidade de isolamento domiciliar. 

Investimentos em inovação e tecnologia não são novidade. A Natura, empresa nacional de cosméticos, faz esse tipo de investimento desde o ano de 2003, quando aportou cerca de R$ 35 milhões em pesquisas. Em 2004, abriu capital na Bolsa de Valores e segue destinando recursos para Pesquisa e Desenvolvimento, melhorias de processos, além de firmar convênios com universidades e centros de pesquisa.

 

E você sabe por que empresas destinam parte significativa de suas receitas para inovação e tecnologia?

Porque a utilização de tecnologias pode tornar os processos mais ágeis e reduzir custos operacionais. No final desta conta, ela também ajuda na geração de emprego e renda, e no aumento da competitividade.

Ao mesmo tempo em que os investimentos em inovação permitem que as empresas controlem melhor os gastos - porque oferecem indicadores para a melhoria de gestão - e também possibilitam que elas ofereçam produtos e serviços mais inovadores, atualizados e de melhor qualidade.

Não por acaso, o relatório The Serial Innovation Imperative, divulgado pelo Boston Consulting Group, revelou que as empresas que investem em inovação, garantiram ao longo do tempo, melhores resultados do que aquelas que não investiram. Essas empresas se transformaram digitalmente e mudaram toda a sua cultura. Além disso, ao flexibilizar o modelo de negócios que costumavam ter, melhoraram a agilidade dos seus processos.

 

E porque você deve ficar atento a essas empresas e à possibilidade de investir nelas.

Da mesma forma que o gerenciamento e os modelos de negócios vêm sendo constantemente transformados, novas formas de participar deles também estão surgindo. Se antes era difícil o investimento direto em empresas, há alguns anos, essa realidade vem mudando. Assim como a Natura, muitas outras abriram capital na bolsa de valores brasileira (B3). Para se ter uma idéia de como esse negócio vem crescendo no Brasil, um comparativo demonstra que, em todo o período compreendido entre os anos de 1996 e 2003 foram feitos apenas 4 Initial Public Offers (IPOs), enquanto, dos anos de 2003 a 2011, foram realizados mais de 100.

A sigla IPO - que em português significa Oferta Pública Inicial - se refere à abertura pública do capital da empresa. É quando ela oferece uma fração dela, em troca de investimentos. Qualquer pessoa pode investir, e o que têm atraído uma grande quantidade de investidores nos últimos anos, é a possibilidade de retorno acima dos que são oferecidos por investimentos convencionais.

Para abrir capital na Bolsa de Valores, a empresa precisa cumprir uma série de requisitos. As que ainda não estão preparadas para isso, recorrem a outras formas para arrecadar capital para investimento. Uma delas é o equity crowdfunding, regulamentado em 2017 no Brasil. Assim como nos IPOs, a modalidade oferece uma participação da empresa em troca de investimento.

Somente nos três primeiros meses deste ano, 268 empresas listadas na B3 tiveram lucro líquido de R$ 33,2 bilhões. Já as startups - empresas que não apenas investem, como também desenvolvem novas tecnologias - receberam mais de R$ 16 bilhões em investimentos de janeiro a maio de 2021. No período, foram realizados 261 aportes, muitos deles feitos a partir de plataformas de ofertas públicas como a Organismo Brasil.

Para os especialistas, investimentos em empresas que destinam recursos e desenvolvem tecnologias, têm se tornado uma opção para os investidores que estão em busca de projetos e melhor rentabilidade. É também a oportunidade de fazer parte, e apoiar o desenvolvimento das tecnologias que estão mudando o mundo.

 

Tags: #tecnologia #inovação #empresastecnologia #startups #investir #investimento #investimentoemstartup #equity #equitycrowdfunding #organismo #organismobrasil

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Regras Gerais.