Por que investir em startups?

Por que investir em startups?

Publicado por: Luciana Abreu Publicado: 27/10/2020 Visitas: 249 Comentários: 0

Por que investir em startups?

Se você ainda não investe, listamos 5 motivos para você considerar essa modalidade de investimento em seu portfólio.

Você pode até não ter ouvido falar de equity crowdfunding, mas com certeza você já escutou as palavras uber, airbnb e quinto andar. E o que essas palavras têm em comum? Todas fazem parte do universo das startups, uma nova forma de empreender e fazer negócios que vem crescendo em todo o mundo.

Equity Crowdfunding ou financiamento coletivo, é a modalidade regulamentada pela CVM que permite que plataformas ofereçam esse tipo de investimentos para os interessados e captem recursos para as startups. 

Já Uber, Airbnb e Quinto Andar são exemplos de startups que desenvolveram tecnologia capaz de transformar os setores que  ofereciam os serviços que foram mudados por elas. E a partir de aportes financeiros feitos por investidores, essas startups conseguiram aprimorar o serviço que realizam e escalar, ou seja aumentar sua capacidade de atendimento. E com isso, chegamos no primeiro motivo: 

1. Modelo de negócios repetível e escalável 

Startups possuem um modelo de negócios repetível e escalável em um cenário de incertezas e soluções a serem desenvolvidas. Repetível porque uma startup é capaz de entregar o mesmo produto em escala potencialmente ilimitada. E escalável porque essas empresas são capazes de crescer cada vez mais sem que isso influencie no modelo de negócios. 

2. Grande potencial de lucro

Os custos com as operações não crescem na mesma proporção dos lucros, e por isso, startups são um modelo de negócio com possibilidade de ganhos muito maior do que a de empresas tradicionais. Um exemplo de startup de sucesso é o Facebook, que começou como um aplicativo feito para conectar jovens universitários, e hoje está avaliado em US$ 700 bilhões.

3. Virar sócio de uma empresa de sucesso

Quando uma startup procura uma plataforma para captar recursos, ela abre parte do capital dela para as pessoas que vão realizar os investimentos. Isso significa dizer que, ao investir em uma startup você compra uma parte de uma empresa, ou seja, se torna sócio dela

4. Diversificação de portfólio

Você já deve ter ouvido que é importante variar o seu portfólio e aplicar os recursos em diferentes modalidades. Quando você alterna as opções, você diminui os riscos e garante uma melhor rentabilidade do valor investido no médio e longo prazo. 

5. Startups são resilientes em períodos de crise

As startups brasileiras caminham para ter o melhor desempenho da história em 2020. De janeiro a setembro, aconteceram 100 aquisições de startups no Brasil. Já foram investidos mais de US$ 2 bilhões em startups somente neste ano. Empresas de tecnologia costumam ser resistentes em períodos de crise. Se considerarmos o cenário econômico mundial no pós pandemia, vamos perceber que não apenas as startups conseguiram resultados superiores aos de anos anteriores, como também trouxeram inúmeras soluções para diferentes segmentos. 

Na medicina foram criados softwares de atendimento, na educação plataformas de ensino, além de soluções para reuniões, tudo a distância a partir de dispositivos eletrônicos. Soluções inovadoras que mudam a forma como nos locomovemos, pedimos comida e nos relacionamos interpessoalmente.

Se você ainda não investe em startups, talvez essa seja uma boa hora de considerar esse modelo em seu portfólio. E se você quiser saber mais, nós da Organismo Brasil, estamos aqui para te auxiliar! Acesse a nossa home, ou converse com um de nossos guias no chat! 

Tags: #investir #investimento #diversificaçãodeinvestimentos #startups #investiremstartup #investimentosemstarrtups #equitycrowdfunding #organismobrasil #invistacomaorganismobrasil #plataformadefinanciamentocoletivo #startupsbrasileiras

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Regras Gerais.